Sebrae apresenta programas de inovação para estimular empreendedorismo nos municípios

O Sebrae Nacional, serviço de fomento ao empreendedorismo no Brasil, tem passado por grandes transformações para se aproximar de tendências mundiais de inovação. Nesse movimento, um de seus objetivos é se conectar aos municípios, oferecendo soluções que ajudem a melhorar a gestão e gerar empregos. “O mundo está passando para uma sociedade de serviços, e o Sebrae vai entrar forte na questão tecnológica de transformação digital”, afirmou Paulo Miotta, assessor da Diretoria do Sebrae Nacional, durante o 3º encontro do Fórum Inova Cidades.

“Inovação é vista muitas vezes como algo inacessível e elitizado, mas queremos mostrar que é acessível ao cidadão comum, e que é sinônimo de desenvolvimento”, observou na ocasião o gerente da Unidade de Inovação do Sebrae Nacional, Paulo Renato Cabral. Segundo o executivo, 98% das empresas brasileiras são de pequeno porte. “São elas que fazem o país acontecer. Geram trabalho, riqueza e aumentam renda.”

O Sebrae pode oferecer, nesse sentido, ambientes e ferramentas de acesso dos pequenos negócios às oportunidades de inovação. Por isso, desejam trabalhar com os municípios de forma integrada. Exemplo disso é o programa Agente Local de Inovação (ALI): ele reúne mais de 3.500 jovens bolsistas (remunerados pelo Sebrae) que recebem formação para visitar empresas e implementar processos inovadores e de produtividade. O trabalho até agora aumentou o faturamento das mais de 300 mil empresas atendidas em cerca de 45%. “Pequenas cidades precisam criar demanda para pedir esses jovens”, explica Cabral.

Outro exemplo é o trabalho de Denominação de Origem Controlada feita com o queijo da canastra, processo de certificação que aumentou o preço médio do produto em 214% (6.300% de aumento no faturamento) e, com isso, a remuneração de toda a cadeia e o aquecimento da economia da região em Minas Gerais.

O Sebrae e o Fórum Inova Cidades se aproximaram no início de outubro, em reunião em Brasília, para falar sobre a atuação de ambos e discutir a possibilidade de trabalho em conjunto. A partir disso, o Sebrae apresentou no último evento do Fórum algumas propostas que levam inovação às cidades por meio do empreendedorismo. Conheça elas aqui: download da apresentação do Sebrae.

Para mais informações, acesse o site do Sebrae.

Fórum quer criar pontes entre programas federais para a iniciativa privada e os governos locais

Em reunião no início de outubro, Igor Nazareth, subsecretário de Inovação e Novos Negócios da Secretaria de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação, apresentou à equipe do Fórum Inova Cidades programas fomento a ambientes de inovação que podem ser incorporados por municípios. A partir disso, o Fórum planeja pensar nos usos desses espaços para resolver problemas urbanos e da gestão local e estudar a melhor forma de difundir a agenda para as cidades.

1. InovAtiva Brasil

(Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços – MDIC e Sebrae)

Reúne mais de 2 mil startups, 926 delas inseridas no mercado pelo programa. Promove aceleração a distância, é gratuito, envolve todos os setores e abrange todo o território nacional. Etapa seguinte é a capilarização para estados e municípios.

2. Startout BR

(APEX, Ministério das Relações Exteriores e MDIC)

Fomenta a internacionalização de startups por meio de seleção e capacitação para prospecção de mercado internacional. Seu objetivo é alavancar ecossistemas de startups no Brasil promovendo modelo de negócio, ambiente de negócio, retenção de talentos, investimento e segurança jurídica.

3. Marco Legal das Startups

(Ministério da Economia e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações)

Cerca de 160 pessoas dos setores público, privado e da sociedade civil organizada participaram da discussão sobre os gargalos para startups no Brasil. Foram reunidas propostas de como melhorar o ambiente de negócios, facilitar o investimento, pensar nas relações de trabalho e nas compras públicas. O projeto passou por consulta pública e deve ser publicado como Lei Complementar. Um desafio do Marco é agregar todas as iniciativas para startups nos níveis federal, estadual e municipal. O Fórum poderá atuar na identificação das oportunidades para startups no âmbito local, entendendo como se conectam a cada público e a qual fase de desenvolvimento específicos.

4. Brasil Mais Produtivo

(MDIC, Senai, Sebrae e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial)

Promove melhorias rápidas, de baixo custo e alto impacto em pequenas e médias empresas industriais. Já atendeu 3 mil organizações e pretende aumentar número para 300 mil até o fim de 2022, ampliando oferta para comércio e serviços.

A reunião com Igor Nazareth sobre os programas federais fez parte de uma agenda de encontros do Fórum Inova Cidades em Brasília para expandir sua atuação e representatividade.