Como tecnologia e comunicação têm ajudado a pasta de saúde no combate à Covid-19 em Curitiba

É verdade que a pandemia do novo coronavírus trouxe um grande desafio para a saúde. As soluções para esse problema, no entanto, não precisam ser todas do setor. Essa é uma das lições oferecidas por Curitiba que, com investimento em tecnologia e comunicação, trouxe respostas inovadoras para a saúde pública no combate à Covid-19.

As experiências da capital paranaense foram compartilhadas durante uma live promovida pelo Fórum na última sexta-feira, 8/5. As convidadas foram Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação e do Inova Cidades, e Beatriz Battistella Nadas, superintendente executiva da Secretaria Municipal da Saúde do município.

Inteligência artificial no monitoramento de casos

Para não sobrecarregar o sistema de saúde e evitar a dispersão do vírus, a prefeitura de Curitiba passou a usar um sistema de atendimento remoto – por telefone e online – que permitiu a identificação e o acompanhamento de novos casos longe dos hospitais. 

Para tornar isso possível, a gestão aproveitou, por um lado, o investimento que vinha fazendo nos últimos anos na digitalização de dados dos usuários e do atendimento do setor. Por outro, estabeleceu parcerias com a iniciativa privada para ampliar os serviços: Doctoralia, Instituto Laura e Inloco foram as principais empresas aliadas. Outra ação importante no processo foi a publicação do Decreto nº 477, que facilitou processos de doação, aumentando a velocidade de resposta do serviço público na implementação das novas tecnologias.

E como funciona o atendimento para a prevenção da Covid-19? Por meio de canais de atendimento já existentes – um número telefônico e o aplicativo Saúde Já –, usados como plataformas de triagem dos sintomas para o novo coronavírus. A partir do questionário, padronizado em todos os meios de atendimento, os casos são divididos entre leves, moderados e graves.

“Quando é leve, precisamos que a pessoa evolua favoravelmente para a cura e se mantenha isolada, interrompendo a cadeia de transmissão. Essas duas estratégias são vitais para reduzir a sobrecarga do sistema com os casos graves”, explica Beatriz. Assim, o desenvolvimento de casos diagnosticados como leves é acompanhado a distância por um profissional de saúde via telefone.

Casos moderados e graves, por sua vez, são encaminhados para uma videoconsulta no mesmo dia e, caso necessário depois disso, para o atendimento presencial. Como os sistemas utilizados já possuíam integração com um banco de dados de cada paciente, o registro da consulta e o monitoramento relativo ao coronavírus são incorporados automaticamente ao prontuário de cada um. Isso facilita o trabalho dos agentes de saúde, que sabem pelo sistema para quem e quando precisam ligar para acompanhar o quadro.

Entre 17 de março e 8 de maio, cerca de 26 mil pessoas foram atendidas pelos canais da prefeitura, e mais de 8.500 delas foram diagnosticadas com algum sintoma da Covid-19 e monitoradas pelo sistema de saúde, de acordo com a superintendente executiva de Saúde. Entre esses pacientes, 688 passaram por videoconsultas e 1.158 foram encaminhados para o serviço de saúde presencial. Com isso, até a data da live, a cidade de aproximadamente 2 milhões de habitantes registrava apenas 28 óbitos e 706 casos confirmados da doença.

Para Cris Alessi, resultados como esses estão atrelados a um investimento anterior da gestão em tecnologias da informação, à integração da pasta de inovação às demais, e à vontade política. “A Covid vai apenas acelerar esses processos. A inovação em Curitiba não surgiu por causa da pandemia. Isso leva tempo”, afirma.

Comunicar é fundamental

A presidente do Fórum e da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação observa também como a comunicação tem sido uma aliada fundamental para fazer as orientações em relação aos cuidados contra a doença alcançarem a maior parcela possível da população curitibana. “Temos um número de teleatendimento que precisa ser divulgado, estratégias de prevenção, comunicação visual online e espalhada pela  cidade, e um boletim diário de novos casos. É inclusive por meio da comunicação que muitas empresas têm chegado até nós para parcerias”, diz.

Para saber mais detalhes sobre as estratégias de Curitiba contra a Covid-19, assista à live completa.

Na próxima quinta-feira, 14/5, às 19h, faremos a terceira live da nossa série, desta vez com as experiências inovadoras de Tubarão (SC). Inscreva-se gratuitamente pelo link: https://bit.ly/tubarao-covid19

Saiba mais sobre a primeira live de boas práticas contra o novo coronavírus, feita com gestores de Recife: 5 ações inovadoras da prefeitura de Recife para conter o avanço do coronavírus

Você é gestor público e tem uma iniciativa inovadora para compartilhar? Conte para a gente: https://bit.ly/ForumDebateCovid.